sexta-feira, 27 de março de 2009

Terceira composição,,,por trás de uma suavidade melódica pretendida na música,,,tensão e conflitos entre as personagens, mais uma vez


PERFÍDIA

Sobe a fumaça pra esconder o sol
Que iria contemplar teu dia
Que iria irradiar a esquina
Das escolhas do caminho
Sobe a fumaça e disfarça o céu
Com maquiagem em rímel, sombra e batom

Tons de cinza são tua nova luz
Neste efeito não há “control z”
Tudo feito, tudo errado em vão
Tua culpa é o que há de claro aqui

Sobe o sol de trás das montanhas rochosas
Queria contemplá-lo todos os meus dias
Queria irradiá-lo em todas as esquinas
Alvorada virgem prenuncia a estrela
E esclarece com o lápis que contorna o batom

2 comentários:

  1. 1ªpessoa==>Ela
    2ªpessoa==>Ele
    Algumas mancadas estão estragando a vida dele e estão o desviando de um caminho feliz. Estes erros não estão claros, provêm de mistérios profundos. Cada vez mais ele mergulha nestes atos impróprios,sem perspectiva de retorno e, segundo ela, sem motivos relevantes. Num segundo momento ela mostra-se inconsolável com a situação de a vida continuar sem que possa ser feliz como em outrora. Diz-se com o desejo de ofuscar outras felicidades, esperar que elas possam surgir, mas que nunca apagará o maior dos pecados: a traição.

    ResponderExcluir
  2. Suas rimas são um poente numa vida longa. Talvez longa de mais. Talvez não tão calma quanto aparente, por vezes calma não é produto de paz. Estupendo.

    Parabéns pelo blog.

    Saudações do Pierrto.

    ResponderExcluir